Os sinais para 2012

14/12/2008

Aldomon Ferreira – Operação Sobrevivência a Nibiru (18-10-08)

Download completo aqui!

[Project Camelot] Entrevista com Mr X (tradução)

Filed under: 2012, A verdade esta aqui!, Nibiru, Noticias — Tags:, , , , , , — nox2012 @ 2:59 am
Mr. X e filha

Mr.X e filho

Acabei de ler uma entrevista no site do Project Camelot com uma pessoa que tem o nome de Mr. X.
A entrevista me chamou a atenção, devido ao fato documentado pelo próprio site do Project Camelot, que ele morreu (ou foi morto) recentemente de forma desconhecida. (Veja notícia do dia 13 de dezembro na página inicial do Project Camelot aqui.)

Outro ponto interessante durante a entrevista e que me fez tomar a iniciativa de disponibilizar aqui a tradução, foi a menção de Mr. X sobre um evento que ele leu em documentos secretos relacionado ao ano 2012. No documento o entrevistado diz que ocorrerá no final daquele ano o pouso em massa de espaçonaves alienígenas em nosso planeta. Sim exatamente isso que você leu. Teremos praticamente uma “invação” de espaçonaves e se nós pegarmos as outras peças do quebra-cabeças posso afirmar que esta “invasão” esta diretamente ligado ao evento máximo da chegada do Nibiru e sua onda de destruição já pesquisada e anunciada em outras ocasiões para o ano de 2012.

Vale lembrar que esta informação que li a respeito do pouso em massa não é para mim a primeira vez. Em outros textos já me deparei com essa informação e esta entrevista só me traz mais confirmação que 2012 será o fim da linha para a nossa atual civilização atual.

(more…)

22/11/2008

Nibiru: Perigo Eminente (reportagem Revista UFO)

Filed under: Nibiru — Tags:, — nox2012 @ 10:30 pm

revista_ufoA revista UFO vai abordar o assunto Nibiru/2012/Calendário Maia em sua próxima edição de dezembro.

Segue abaixo parte da reportagem da Revista UFO.

De uns anos para cá, expressões como Nibiru, Planeta X ou Planeta Chupão se tornaram motivo de grande interesse e controvérsia na internet e nas comunidades ufológicas brasileira e mundial. Todos estes termos se referem à mesma coisa, um grande e desconhecido objeto existente no Sistema Solar, que é melhor identificado com o termo genérico Planeta X. Na Antigüidade, os sumérios o chamaram de Nibiru e o descreviam como sendo várias vezes maior do que a Terra, com um período orbital de cerca de 3.600 anos. Este objeto pode ser um cometa, um “planeta vagabundo” ou uma estrela anã escura companheira do Sol, não se sabe ao certo. A procura por este perturbador artefato celeste remonta à descoberta de Urano, em 1781, e hoje é constante.

Alguns estudiosos dizem que, nos próximos anos, o Planeta X ou Nibiru penetrará em nosso sistema estelar e enfurecerá o Sol. Há até uma data aludida com freqüência para que tal fato ocorra: 2012. Com isso, teria início um período de sofrimento para a Terra, que se veria imersa em uma terrível tempestade solar. Com um cenário tão dramático, o que todos se perguntam é: poderemos sobreviver? No século XIX, o cientista Louis Pasteur declarou que “a chance favorece as mentes preparadas”. A frase é clara, mas, mesmo que possamos pensar em construir refúgios para escaparmos de eventuais tragédias, não há garantias. De qualquer modo, uma preparação mental e emocional da humanidade parece ser o caminho para a sobrevivência aos períodos drásticos que virão, caso se concretizem as sombrias previsões.

No passado, tivemos cataclismos e fenômenos naturais que custaram muito caro à espécie humana. Se recuarmos cerca de 11.000 anos no tempo – o equivalente a três vezes o período orbital de Nibiru –, chegaremos à catástrofe que vitimou a lendária Atlântida e, cerca de 1.500 anos antes, acharemos o cataclismo que vitimou o igualmente polêmico continente de Mu. Alguns historiadores atestam que, em ambas as situações, a Terra teria ficado praticamente vazia, sem vida. Estima-se que, só em Mu, teria havido o desaparecimento de 60 milhões de pessoas, vítimas da tragédia. Não se conseguiu calcular quantas teriam sucumbido com o afundamento da Atlântida.

Posteriormente, no século XIV, tivemos o triste fenômeno da Peste Negra, que aniquilou dois-terços da população planetária, que pode ser um bom exemplo do que a natureza é capaz de fazer, quando zangada. As conseqüências da peste não tardaram a aparecer, e muitos sobreviventes concluíram que a Igreja Católica não era tão eficiente assim, visto não ter conseguido protegê-los da catástrofe. Assim, deixaram de acreditar na instituição, abandonaram sua fé e começaram a procura por respostas em outras áreas, o que levou à emergência da medicina.

É bem provável que, desta vez, se e quando Nibiru entrar de fato em conflito com o Sol, tenhamos de suportar sofrimentos bem mais devastadores do que os da Peste Negra. Mas é preciso ter em mente que isto poderá também nos levar a fortes eventos evolucionários, nos quais a humanidade poderá se libertar dos grilhões da atual loucura coletiva, criando um mundo muito mais espiritual e solidário. O pior desafio que poderemos enfrentar não será o próprio Nibiru, embora ele nos traga terríveis tempestades de meteoros e muitos impactos. A interação entre ele e o Sol será muito pior. Para alguns autores, é preciso compreender que não enfrentaremos desafios de um dia catastrófico em sentido bíblico, mas sim a ruína progressiva do mundo inteiro, em escala global. Mas, como já aconteceu no passado, Nibiru engatilhará a reunião de múltiplos eventos naturais e os devido à ação humana, que deverá durar anos. Quando o pesadelo terminar, a nova humanidade – composta pelos sobreviventes e seus descendentes, adaptados à nova realidade, algumas décadas após o cataclismo –, poderá experimentar uma nova forma de vida, que alguns já chamam de Idade de Ouro.

Mais informações neste link!

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.